A CONSCIÊNCIA SOCIAL COMO UM PESO INTANGÍVEL…

António Ribeiro, presidente da A2000

Quando falamos em “consciência” vem-me de imediato à mente (tomo consciência) o seu peso e a forma como pode impactar o nosso dia a dia e toda a nossa vida.

Diz-se por aí que “o melhor travesseiro é uma consciência tranquila” e penso que se aplica deveras a todas decisões que tomamos, mesmo aquelas que por impulso, por necessidade e até por causas imprevisíveis afetam o nosso sono e a nossa vida quotidiana. A qualidade dessas opções, os seus impactos e o feedback que causam constituem o “travesseiro” onde se deita a nossa cabeça diariamente. Na mesma medida se diz que “uma consciência pesada” nos tira o sono e acelera o sobressalto em que nos deitamos, roubando-nos o descanso necessário e exigido para a saúde.

Em suma, somos seres conscientes e com consciência, o que nos torna distintos dos animais, e é nessa medida que somos humanos capazes de interagir pelos nossos semelhantes mais próximos. É assim que falamos de consciência social. Portanto, consciência social é a maneira como entendemos o papel de cada um na comunidade que integramos, utilizando uma série de mecanismos sociais de apoio, em ordem ao respeito pelo próximo e pelas reivindicações dos grupos em maior vulnerabilidade social, tendo como consequência o bem estar e a inclusão de todos, criando-se uma sociedade mais equilibrada e bem desenvolvida.

A formação da Consciência Social deve ser estimulada desde muito cedo (desde criança), transmitindo-se uma série de valores muito importantes para o desenvolvimento das crianças e dos jovens no que concerne às suas responsabilidades perante o meio ao qual pertencem. Com a construção da consciência social passamos a ter a noção de como os nossos comportamentos e decisões podem favorecer ou prejudicar o bem-estar de cada um e de todos.

Não podemos tocar na nossa consciência, mas podemos sentir o seu peso! Assim, a consciência social tem um peso intangível na nossa mente que pode ser muito leve ou muito pesado, de acordo com o tamanho do respeito e das nossas ações pelo bem-estar humano e ambiental dos nossos semelhantes.

“Não é a lei que vai proteger a pessoa com deficiência. É a nossa consciência.” (desconhecido)

António Ribeiro, Presidente da Direção

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content