O papel da Intervenção Precoce na Infância (IPI)

A Intervenção Precoce na Infância destina-se a apoiar crianças dos 0 aos 6 anos de idade que apresentam limitações na participação em atividades quotidianas. A intervenção é realizada junto das crianças, das famílias e de todo o ambiente externo, com vista a minimizar, precocemente, as necessidades sentidas nas crianças com problemas de desenvolvimento (alterações estruturais) ou em situação de risco (biológico, ambiental ou contextual).

A intervenção é na sua plenitude formada por um conjunto de profissionais, de diferentes serviços, que prestam o apoio à criança e a todo o meio que a envolve, deixando de ser uma intervenção direta com a criança, para uma intervenção holística (Simões, 2018). Toda a intervenção na IPI é efetuada pelos técnicos da equipa, que servem de apoio/ sustento dos três Ministérios que representam (Educação, Saúde e Segurança Social), criando assim um serviço transdisciplinar, entre os vários serviços.

Os técnicos da ELI

Apesar de serem profissionais representativos de diferentes ministérios, os técnicos das Equipa Local de Intervenção (ELI) assumem um papel neutro, no qual não desempenham na sua plenitude a sua área profissional, exemplo: o terapeuta da fala não realiza terapias, o enfermeiro não procede a consultas. Os técnicos são os elementos mais próximos das crianças, das famílias, e das várias respostas que estas precisam.

Toda a intervenção do técnico é essencialmente centrada na família, sendo este um agente articulatório e facilitador de processos entre os vários serviços necessários. Apesar de maioritariamente a intervenção ser centrada na família, existe ainda uma intervenção realizada junto das creches e pré-escolas, uma vez que é o meio onde a criança se encontra mais tempo. Neste contexto e junto da família, o técnico assume um papel de relevo, no sentido em que não realiza a intervenção direta, isto é, não executa atividades, mas realiza a articulação entre as educadoras/ intervenientes externos que interagem com a criança e, a família, no sentido de promover estratégias facilitadoras de aquisição/desenvolvimento de competências e enriquecimento dos vários contextos em que a criança circula. Portanto, o técnico da ELI tem o objetivo de capacitar e empoderar os contextos onde a criança circula, coordenando as partes intervenientes no processo de desenvolvimento da criança, de modo a que haja coerência e harmonia na promoção do desenvolvimento da mesma. A finalidade última da intervenção do técnico da ELI é garantir que o trabalho em torno das competências menos fortes da criança, estão a ser trabalhadas por todos os intervenientes, olhando sempre com uma visão holística e não como visão fragmentada, em que cada pessoa trabalha apenas a sua área. Assim, a Intervenção Precoce assenta num trabalho de partilha de conhecimentos entre todos os envolvidos para que todos sejam capazes de potenciar os contextos em que a criança se encontra promovendo o desenvolvimento de novas aquisições.

Em suma, o objetivo dos profissionais da IPI é proporcionarem apoio/ auxílio/ recursos/ estratégias aos educadores e às famílias, para potenciarem as capacidades da criança, levando-a a ultrapassar os problemas ou  dificuldades.

Vanessa Rualde, Técnica da IPI

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content