A RETOMA DA ECONOMIA PORTUGUESA

Foto genérica com um martelo de juiz, várias pilhas de moedas e uma mão a colocar uma moeda na pilha mais alta

No segundo trimestre de 2021 o Produto Interno Bruto (PIB) aumentou 15,5% face ao período homólogo, segundo indica a estimativa do Instituto Nacional de Estatística (INE).

É o valor trimestral mais elevado da História do Portugal democrático.

A forte recuperação da economia portuguesa deve-se, em larga medida, à reabertura gradual do país após o segundo confinamento geral, entre meados de janeiro e março, para travar a pandemia da covid- 19.

Este forte crescimento económico foi impulsionado pela procura interna, nomeadamente através do consumo das famílias, com especial incidência nas áreas da restauração, hotelaria e lazer, em contraste com as fortes restrições registadas no segundo trimestre de 2020.

Houve, também, um acréscimo significativo dos gastos do Estado que, conjugados com o aumento do investimento, permitiram alavancar a atividade económica.

A libertação da sociedade e da economia está associada à meta atingida de mais de 70% da população portuguesa vacinada, em linha com o que está a acontecer em alguns países da Europa, nos quais ao processo de vacinação em larga escala tem correspondido um acentuado crescimento económico.

Todos sabemos que o caminho ainda é longo, mas tal como disse Ariano Suassuna:

“O Otimista é um tolo.

O Pessimista, um chato.

Bom mesmo é ser um realista esperançoso. “

Isabela Lima, Formadora A2000

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content