António Gouveia – União de Freguesias de Peso da Régua e Godim

O António Gouveia está integrado profissionalmente na União de Freguesias de Peso da Régua e Godim, no âmbito de um Contrato Emprego-Inserção (CEI+).

Sinalizado pela equipa do Centro de Recursos para a Inclusão Profissional (CRIP) da A2000, o cliente foi encaminhado para medida de Informação, Avaliação e Orientação para a Qualificação e Emprego (IAOQE), de modo a averiguar quais as suas potencialidades e competências pessoais, sociais e profissionais.

Posteriormente, o António foi acompanhado na medida de Apoio à Colocação, com o intuito de encontrar um emprego ajustado às suas necessidades e especificidades. Tendo em consideração o facto de o cliente ter desempenhado funções na construção civil durante largos anos, a União de Freguesias de Peso da Régua e Godim decidiu integrar o António no mercado de trabalho através de uma medida ativa de emprego destinada a pessoas com deficiência e/ou incapacidade.

Neste sentido, o cliente refere que a sua integração laboral lhe permite dar continuidade a uma das suas grandes paixões – “a arte de ser trolha”. O António salienta que, durante a sua atividade costuma “ajudar os trolhas, ajudar a fazer muros,  pintar espaços exteriores das freguesias, a cortar as sebes e compor os quelhos com cimento”, evitando as tarefas que pressuponham a operacionalização de máquinas. Refere, ainda, que esta integração profissional surtiu um impacto bastante positivo na sua qualidade de vida, “tenho mais dinheiro, gosto dos meus colegas de trabalho e do Sr. Presidente também e foi uma mudança boa para mim”. O António aponta que “gostava de continuar a trabalhar aqui, pois sou feliz a trabalhar e gosto de me sentir útil e de ter funções que sei fazer”. O cliente encontra-se bem inserido na sua comunidade, afirmando que “as pessoas gostam de mim e isso é muito importante”.

Para José Costa, Presidente da União de Freguesias de Peso da Régua e Godim, o objetivo maior desta integração profissional é “procurar estabelecer pontes (no sentido figurativo), que possibilitem serem fios condutores de uma sociedade que promova a igualdade de direitos..”

O Presidente reitera que a adaptação do António às rotinas e exigências laborais foi feita “de uma forma gradual e sem aparentar dificuldades, quer às rotinas implementadas, quer ao relacionamento com os próprios colegas de trabalho”. Acredita, ainda, que esta integração socioprofissional promove a igualdade e inclusão social, destacando que o cliente “procede à limpeza e manutenção dos espaços verdes contíguos às duas freguesias, assim como serviços de servente de trolha, devidamente orientado e ajudado pelos funcionários afetos à junta, que o acompanham diariamente”.

No âmbito da integração profissional do António, o autarca considera “que as pessoas com deficiência têm mais valias que não devemos desvalorizar”, corroborando a vivência de uma experiência positiva que “permite, em última análise, que haja uma mudança cultural, o combate à desigualdade, a disponibilidade para o outro, o incremento da solidariedade, entre outros aspetos”.

O apoio fornecido pela equipa da A2000 foi entendido pelo Presidente da União de Freguesias como um facilitador de extrema relevância, “nomeadamente na elaboração, manutenção e acompanhamento de todo o processo de integração, estabelecendo uma corrente tripartida entre a A2000, a União de Freguesias de Peso da Régua e Godim e o próprio colaborador com deficiência, que funciona e serve os propósitos de todos os intervenientes”.

José Costa, Presidente da U.F. Peso da Régua e Godim

Em jeito de apelo à integração de mais pessoas com deficiência no mercado de trabalho, José Costa deixa algumas palavras às entidades: “Penso que as entidades e empresas devem adotar políticas de responsabilidade social, aliadas à preocupação em garantir a igualdade de oportunidades entre todos os trabalhadores. Existem medidas de apoio à contratação de pessoas com deficiência que devem ser reforçadas, agilizadas no seu período de contratação e fiscalizadas. O emprego confere a estas pessoas com deficiência autonomia, independência económica, sentimento de utilidade, motivação e credibilidade perante a sociedade e constituem fatores elementares de bem-estar, autoestima e inclusão”. Neste prisma, afirma que “a União de Freguesias estará sempre disponível para ajudar e apoiar estas iniciativas de âmbito socioprofissionais”.

Fátima Teixeira, Técnica de Apoio

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content