CLDS – 4G Murça apresenta Relatório de Atividades 2021/22

Decorreu, no passado dia 24 de junho, a apresentação dos resultados das atividades do CLDS-4G Murça “Milhões de Esperanças” a todos os parceiros relativos ao ano de 2021 e primeiro semestre de 2022.

Numa sessão que teve lugar no âmbito de uma reunião do CLAS (Conselho Local de Ação Social), a equipa do CLDS, coordenada pela psicóloga Sofia Borges e constituída pelas técnicas Andreia Henrique, Beatriz Ermida, Mónica Germano e Natália Gomes, deu a conhecer de que forma tem trabalhado os seus três eixos de atuação, com o objetivo de promover a inclusão social de grupos populacionais que revelem maiores níveis de fragilidade social no concelho de Murça. 

Eixo I – Emprego, Formação e Qualificação

O Eixo I – Emprego, Formação e Qualificação, dirigido a público desempregado, alunos do Ensino Secundário, empresários e entidade locais, foi apresentado por Beatriz Ermida, que informou abranger um total de 131 participantes no decorrer de 2021 e 1º semestre de 2022, 62 em 2021 e 69 novos participantes no 1º semestre de 2022, contabilizando ainda mais 14 destinatários que transitaram de 2021. Os participantes são maioritariamente ou jovens à procura do 1º emprego, com idade média de 20 anos, ou desempregados de longa duração, com idades compreendidas entre 29 e 64 anos. Interessante foi constatar que 87% destas pessoas são originárias de duas freguesias – Murça e a União das Freguesias de Noura e Palheiros.

Beatriz Ermida enaltece a elevada percentagem de atividades realizadas e a relevância social das mesmas. “Na avaliação do período de intervenção 2021/2022, verificamos um aumento de participantes relativamente ao ano transato, e o início de atividades com maior implementação face aos dados anteriores, tendo em 2022 uma taxa de 88%, e passando de 30% de execução de ações em 2021 para 74% no 1º semestre de 2022. O público-alvo é extremamente abrangente, e vai desde alunos do ensino secundário a beneficiários de RSI ou pessoas com deficiência ou incapacidade, sendo sem dúvida um desafio inequívoco ao trabalho e mudança social em Murça. A formação, a qualificação e o emprego são os motores do combate à pobreza e inclusão social de um Eixo I que não é nosso, mas sim de todos. Sem a colaboração de todos os parceiros, não será possível mudarmos o paradigma a que nos propomos”.

Eixo II – Intervenção familiar e parental preventiva da pobreza infantil

A apresentação deste Eixo, dirigido prioritariamente aos agregados familiares de baixos rendimentos com crianças, foi feita pela técnica Mónica Germano, que indicou que, no total, são abrangidas 30 famílias, correspondendo a 91 pessoas (adultos e crianças). Em particular no ano de 2021, foram contabilizados 17 agregados familiares, constituídos por 54 pessoas (adultos e crianças), e verificou-se no 1º semestre de 2022 um incremento de mais sete famílias, correspondendo a 20 participantes. Cada agregado assume particularidades diferentes no âmbito laboral e escolar, e por via disso existem participantes ativos e passivos, ou seja, existem elementos do agregado familiar que se encontram inscritos nas atividades, mas não têm um papel ativo em algumas,  por força de compromissos noutros contextos das suas vidas. Neste âmbito, em 2021 verificou-se uma taxa de 63% de participantes ativos no Eixo II, tendo atualmente no 1º semestre de 2022 uma taxa de 57%. Este valor, sofre um decréscimo pelos melhores motivos, dado que foram alguns progenitores ativos alocados ao mercado de trabalho.

De referir também que as famílias acompanhadas são relativamente jovens, o que nos indica que o índice de novas famílias que apresentam alguns sinais de carência económica, é substancialmente significativo na intervenção do projeto. As freguesias de Murça e Candedo são as mais representadas entre os participantes.  Na sua apreciação, Mónica Germano realça o valor do trabalho de proximidade com as famílias, no sentido de dar um grande contributo à qualidade de vida da população no concelho.

No ano de 2021, tivemos bastantes dificuldades na dinamização de atividades com os agregados familiares. Incidiu-se sobretudo em atividades de carácter mais individual e, a espaços, conseguimos realizar pequenas ações com grupos e campos de férias para os agregados familiares inscritos no projeto. Durante este tempo, priorizámos os levantamentos de necessidades e expectativas dos agregados que constituem o Eixo II, de forma a podermos construir uma resposta robusta e adaptada aos participantes. Relativamente a 2022, o ano entrou com mais força, mais trabalhoso e cheio de esperanças de alcançar os objetivos. Queremos que o CLDS seja um programa de combate à exclusão social e que a nossa intervenção faça a diferença na vida destas pessoas. Temos um grande desafio pela frente, mas juntos conseguimos alcançar tudo”.

Eixo III – Promoção do Envelhecimento Ativo e Apoio à População Idosa

Eixo que tem como objetivos realizar ações socioculturais que promovam o envelhecimento ativo e a autonomia das pessoas idosas; dinamizar ações de combate à solidão e ao isolamento; e desenvolver projetos de voluntariado vocacionado para o trabalho com populações envelhecidas, foi apresentado pelas técnicas Andreia Henrique e Natália Gomes.

Contabilizaram-se, no ano de 2021, 49 idosos inscritos no Eixo III, e 55 no 1º semestre de 2022, distribuídos por três atividades e 13 ações, num Eixo composto também por jovens voluntários, vizinhos solidários e pessoas com deficiência, um crescimento que as duas técnicas explicaram. “Em 2021, deparámo-nos com dificuldades na execução de algumas atividades planeadas devido aos confinamentos provocados pela evolução crescente da pandemia. Desta forma, optámos por reajustar as sessões à realidade atual mas, ainda assim, encontrámos reticências à adesão pelo receio das pessoas. Já no ano de 2022, e sendo este um ano de transição, decidimos reiniciar as atividades de forma presencial, acautelando sempre as normas de higiene e segurança em vigor. Até ao momento, tem-se mostrado um ano com grande recetividade por parte dos séniores às nossas atividades, como o ilustram as 21 novas entradas, com o envolvimento de três novos voluntários”.

Síntese e motivação para os próximos desafios

Para Sofia Borges, coordenadora do CLDS – 4G Murça “Milhões de Esperanças”, o período de 2021/22 foi de grande exigência para a equipa. “O CLDS-4G Murça, iniciou as suas funções num ano mítico em que surge a pandemia da Covid-19. Acreditamos que possa ser a geração de CLDS com mais desafios para as equipas e participantes, na forma de adaptação e gestão de imprevistos e contextos epidemiológicos que nos impediram a realização de atividades da forma como sempre se realizaram, em contexto presencial e de proximidade”.

Apesar disso, a psicóloga realça os indicadores francamente positivos do projeto. “A satisfação de todos os intervenientes do processo de mudança social é para nós um barómetro importante na medição da qualidade dos serviços e recursos que disponibilizamos no concelho de Murça. Os dados relativos a 2021 dizem que 98% dos participantes estão satisfeitos com o projeto, correspondendo a 77% de participantes muito satisfeitos, realçando o planeamento do serviço e o plano individual traçado; de realçar ainda que obtivemos 83% de parceiros muito satisfeitos com o compromisso da A2000 na intervenção social do concelho de Murça. Destacam a responsabilidade, os resultados e os serviços prestados”.

A concluir, a coordenadora sublinha a capacidade de adaptação e superação da equipa face às enormes exigências com que se tem confrontado. “Na súmula de todos os resultados, sabemos que 2021 foi um ano árduo. O CLDS-4G teve alteração de recursos humanos na equipa técnica, com a integração de dois novos elementos, o que levou a uma adaptação de recursos e ao ajustamento nas dinâmicas de trabalho. É manifestamente visível o aumento do ritmo de trabalho por parte de todos os elementos da equipa no sentido de executarmos o projeto, cumprir os indicadores e conciliá-los com as necessidades da população. Em 2022 descentralizámos tarefas na equipa, responsabilizámos elementos técnicos e melhorámos a qualidade dos nossos serviços. Esperamos agora obter índices de mudança e satisfação significativas. Sabemos que não vai ser um ano fácil, mas cremos que irá ser gratificante para todos os parceiros e destinatários diretos e indiretos”.

Técnicas do CLDS-4G Murça “Milhões de Esperanças”

Notícias Relacionadas

ANDEBOL ADAPTADO

22 de Julho, 2022

I PASSEIO TT VINDIMAS DO DOURO

11 de Julho, 2022

Doador do mês de julho

10 de Julho, 2022
Skip to content