Consequências do uso prolongado da chupeta

Menina deita chupeta ao caixote do lixo

Como técnica da intervenção precoce, um grande objetivo é capacitar os pais e/ou cuidadores com estratégias e/ou informação para que o desenvolvimento da criança ocorra de forma funcional.

Porém, prevenir a emergência de futuros problemas e/ou incapacidades é outro dos objetivos delineados para a intervenção precoce (Bailey & Wolery 1992). Assim, o foco deste artigo é a prevenção/sensibilização das consequências do uso prolongado da chupeta, na fala da criança.

A chupeta é um objeto de extrema importância para o bebé e para os pais. Além de que, é um objeto considerado como “remédio” para o choro e mal-estar da criança (Costa, 2012). No entanto, salienta-se que o seu uso prolongado pode trazer consequências ao nível da fala.

E que consequências são essas? – Segundo vários autores, o uso prolongado pode interferir e/ou desencadear malformações orofaciais, nomeadamente ao nível da configuração da arcada dentária (Costa, 2012). Também pode interferir com a postura dos lábios e língua, prejudicar a tonicidade dos músculos dos lábios, língua e face, tornando-os mais flácidos (Heringer, Reis, Pereira & Ninno, 2005).  Estas alterações irão prejudicar de forma direta a articulação dos sons da fala.

Vejamos um exemplo muito comum do dia-a-dia, já alguma vez observou uma criança com os dentes projetados para fora? Esta alteração na arcada dentária é frequentemente resultado do uso prolongado da chupeta ou pela sucção digital (chuchar no dedo). Estas alterações interferem de forma direta com a articulação dos sons da fala, por exemplo, existe maior escape de ar, a postura da língua e dos lábios não é a mais adequada e estes comportamentos podem distorcer ou dificultar no momento da articulação.

A grande questão que se coloca aos pais é, com que idade devemos retirar a chupeta ao nosso filho? Em termos pessoais e profissionais, quando abordada sobre a questão menciono que não existe uma idade específica para a retirada da chupeta. Porém, informo e saliento que deve ser feito o mais precocemente possível. Estudos científicos, mencionam que essa retirada deve ser feita entre os dois e três anos de idade. O processo de retirada da chupeta, não é fácil. Por isso, não hesite em pedir informações aos serviços mais próximos – escola e/ou saúde – ou leia no próximo mês o nosso artigo, onde apresentaremos algumas das estratégias possíveis para facilitar o processo.

Tamára Ramos, Terapeuta da Fala

Bibliografia

  • Desenvolvimento da linguagem na criança: hábitos orais e perturbações da fala. Maria de Fátima Ferreira de Andrade Costa. Universidade de Aveiro 2012
  • Práticas Recomendadas em Intervenção Precoce na Infância – Um guia para profissionais. Associação Nacional de Intervenção Precoce 2016
  • A Influência da Amamentação Natural no Desenvolvimento dos Hábitos Orais. CEFAC 2005

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content