Integração Profissional  

Francisco Ferreira

O Francisco Ferreira tem 48 anos de idade, é natural de Murça e está profissionalmente integrado na empresa Leonel Brás Reboques, através de um Estágio-Inserção.

O Francisco Ferreira tem 48 anos de idade, é natural de Murça e está profissionalmente integrado na empresa Leonel Brás Reboques, através de um Estágio-Inserção.

Com uma surdez diagnosticada em tenra idade, o Francisco teve que percorrer um caminho em que a capacidade de adaptação às circunstâncias parece ter sido sempre uma característica presente na sua vida, conforme nos conta a mãe, Laurinda Ferreira. “A surdez do Francisco foi descoberta quando era criança em Angola. Quando viemos para Murça, colocámo-lo numa escola especial em Valpaços até aos 14 anos. Depois foi para uma escola na Areosa, no Porto, onde fez um curso de Pintura de Automóveis. A partir dessa formação, teve a possibilidade de trabalhar na empresa Aparício Filhos, no Peso da Régua, durante nove anos. Depois de sair dessa oficina veio ajudar-me, pois precisava de alguém a trabalhar no café, e esteve lá durante três anos. Nos últimos tempos, já só ajudava em trabalhos agrícolas, enquanto não aparecesse uma nova oportunidade”, contou.

Francisco Ferreira no Estágio-Inserção

Quando as rotinas de vida pareciam estar a afastá-lo de uma realização pessoal mais plena, eis que a chegada da A2000 a Murça marca uma viragem nesse período. “Quando surgiu a possibilidade de frequentar o projeto «À Descoberta de Outros Mundos» uma vez por semana, o meu filho aproveitou para fazer algo novo e sair das rotinas habituais. Gostou muito de andar naquele projeto, e foi durante essa fase que teve a possibilidade de ter uma experiência de trabalho com o Sr. Leonel. As coisas correram bem, gostaram da forma como trabalhou e a verdade é que conseguiu ter uma oportunidade de trabalho novamente, naquilo que mais gosta”, relembrou, a propósito de um projeto desenvolvido pela Associação no concelho, em parceria com o Instituto Nacional para a Reabilitação (INR).

Através do Centro de Recursos para a Inclusão Profissional, foi enquadrado na medida de Apoio à Colocação, o que possibilitou passar da experiência laboral à oportunidade concreta, e hoje o Francisco dá o melhor de si para «agarrar» as suas aspirações de futuro profissional com as duas mãos, naquilo que mais gosta de fazer. “Vai mudar muita coisa na vida dele. Mais experiência, mais convívio e novos conhecimentos, para conseguir fazer muito bem o seu trabalho. Agradeço à A2000 pela força e motivação que lhe deu para encontrar uma nova oportunidade na vida, que espero seja de futuro”, concluiu a mãe do agora trabalhador da Leonel Brás Reboques.

Empresa esta que presta uma grande variedade de serviços, com destaque para a sua oficina multi-marcas, que em trabalhos de mecânica, venda de pneus, reparações elétricas, alinhamentos de luzes ou carregamento de ar condicionado, potencia a qualidade de atendimento do pós-venda de automóveis.

Numa empresa que pretende ter um nível de exigência muito alto, tornar o Francisco uma mais-valia foi a preocupação inicial do gerente Leonel Brás. “Quando integrei o Francisco, a minha prioridade passava por lhe transmitir os ensinamentos necessários às suas funções. Com o tempo reparei, porém, que ele era uma pessoa astuta, com capacidades e ainda muita vontade de aprender, que facilitou o processo de adaptação”, começou por dizer o empresário, antes de descrever o trabalho que teve de fazer para que essa integração corresse da melhor forma. “Lidar com trabalhadores com as características do Francisco obrigou-me a ajustar a forma de interagir e comunicar no momento de transmitir instruções para a realização das várias tarefas, ou mesmo na convivência diária. Aliás, até mesmo os colegas de trabalho já têm aprendido a comunicar gestualmente com o Francisco na interação diária com ele, o que também os enriquece ao colocá-los perante uma situação diferente, à qual devem adaptar-se. O Francisco também ajuda, pois é uma pessoa muito desenrascada e afável, que consegue arranjar maneira de se expressar. Saber comunicar com estas pessoas obriga-nos a colocar no lugar do outro e a perceber melhor as respetivas potencialidades e capacidades. Só assim conseguiremos contribuir para o desenvolvimento de competências profissionais destes trabalhadores, ao mesmo tempo que também crescemos como gestores de pessoas”.

A satisfação com o novo trabalhador é grande, ao ponto de Leonel Brás assumir a disponibilidade de fazer mais integrações. “Como empresário, considero o trabalho da A2000 muito importante na integração profissional de pessoas com deficiência ou incapacidade. No caso do Francisco, por exemplo, este estágio pode tornar-se uma grande oportunidade na vida dele e, no que depender de mim, não só estou disponível para lhe dar uma integração mais estável, como até tenho abertura para receber mais pessoas que tragam igualmente mais-valias para a organização. Pela minha experiência com o Francisco, sinto-me bastante satisfeito com todo o processo”, assegurou.

Ana Augusto e Gonçalo Novais, Técnicos

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content