Integração profissional

Sara Rocha no local de trabalho

Sara Rocha é uma jovem adulta que frequentou os serviços da A2000 e que se encontra, nesta altura, integrada no Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Lobrigos, instituição particular de solidariedade social do concelho de Santa Marta de Penaguião, que possui uma grande variedade de respostas sociais à comunidade, tais como creche, estabelecimento de educação pré-escolar, centro de dia, estrutura residencial para pessoas idosas e serviço de apoio domiciliário.

A cliente realizou um curso de formação profissional na A2000, tendo sido encaminhada posteriormente pelo Serviço de Emprego, para a ação de Apoio à Colocação, de forma a resolver o seu problema de emprego.

Neste momento encontra-se a realizar um Contrato Emprego Inserção +, que teve início em setembro do ano passado. A Sara explica a natureza das suas funções. “Aqui, ajudo na realização de várias tarefas. Na creche, estou com as educadoras a tomar conta dos meninos, estou com eles no refeitório ou no recreio, vou com eles à casa de banho, e cuido deles enquanto estão aqui. Já cá estou há algum tempo, gosto muito do meu trabalho, e ficaria muito contente se continuasse a trabalhar aqui. Além disso, trabalhar está a permitir-me ganhar algum dinheiro, para ir poupando caso precise de alguma coisa”, explicou, bastante satisfeita, ela que colabora nos serviços mais direcionados para as crianças, nesta instituição na qual colabora há algum tempo, integrada em diversas medidas de apoio.

Quem falou do percurso da Sara no Centro Social foi Ana Alves, educadora de infância e diretora pedagógica. “Pode dizer-se que a Sara, inicialmente, era mais envergonhada e introvertida, mas agora sente-se mais à vontade. Ao nível do desenvolvimento das suas competências, a sua evolução mantém-se estável, isto é, a Sara é uma pessoa que aprende corretamente o que tem a fazer e que, depois, executa a sua tarefa, mas não vai para além disso. Contudo, o facto de executar aquilo que lhe é dito faz dela uma boa colaboradora, pois há tarefas em que ela dá um importante apoio, e que gosta muito de fazer, como as de higienizar os espaços, ir à lavandaria buscar a roupa ou ir ao refeitório buscar o pão, entre outras. Mesmo neste cenário em que vivemos, com todas as regras de higiene e segurança que temos de cumprir, a Sara adaptou-se bastante bem às exigências que todos temos de respeitar, e foi uma importante ajuda neste período”.

Nas suas declarações, a diretora pedagógica falou também dos desafios que os processos de integração socioprofissionais colocam às entidades que recebem as pessoas. “Há vários aspetos que devemos ter em conta na forma como integramos estas pessoas. Desde logo, o de termos a capacidade de as motivar para trabalhar, integrando-as de modo que não se sintam inferiorizadas em relação a ninguém. Outro aspeto importante prende-se com a questão da vigilância, no sentido de supervisionar e acompanhar, de forma muito próxima, a evolução do trabalho da pessoa, ainda que, neste contexto, esta supervisão deve ser entendida como uma relação em que também usufruímos do trabalho da pessoa”.

Apesar dos desafios que são colocados, Ana Alves considera que são muito significativas as mais-valias pedagógicas da integração de colaboradoras como a Sara no trabalho com as crianças. “Há uma grande mais-valia pedagógica e humana na integração socioprofissional de pessoas com um certo grau de incapacidade. Desde logo, porque as próprias crianças, desde muito cedo, começam a ter contacto com realidades diferentes e, aos poucos e com a nossa ajuda, começam a respeitar estas funcionárias e a ganhar confiança com elas ao ponto de se sentirem confortáveis com a sua presença na realização das suas atividades. Recordo que já existiram casos no nosso concelho de crianças com deficiência e incapacidade que frequentavam a creche e que, independentemente das suas limitações, eram integradas desde logo pelos próprios colegas que, mais tarde, já adolescentes, continuavam a fazer questão de os integrar, o mais que pudessem, nas atividades letivas habituais”.

Entidade: Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Lobrigos

Atividade: IPSS

Concelho: Santa Marta de Penaguião

Ana Augusto,

Gonçalo Novais,

Técnicos da A2000

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content