Integração profissional

Luísa Cardoso acompanhada pela diretora de serviços e a trabalhar com utentes do lar

Luísa Cardoso tem 42 anos, reside em Vila Maior, na União das Freguesias de Lobrigos (São Miguel e São João Baptista) e Sanhoane, e está integrada profissionalmente na Fundação Luís Vicente, em São João de Lobrigos, no concelho de Santa Marta de Penaguião.

Antiga formanda do curso de Auxiliar de Serviços Gerais, ministrado na A2000, e já ligada à instituição onde trabalha desde a realização de formação em contexto real de trabalho, no âmbito do Centro de Recursos para a Inclusão Profissional da A2000, por encaminhamento do Serviço de Emprego de Vila Real, a Luísa explicou em que consistem as tarefas que realiza. “O meu trabalho é cuidar dos idosos, e ajudar nas tarefas de manutenção e limpeza do lar. O trabalho que fazemos com os idosos é de uma grande responsabilidade, pois ajudamo-los a lavarem-se, vestirem-se e a fazer as suas refeições, caso seja necessário. Além disso, também dou apoio às minhas colegas no trabalho do lar, como na parte da lavandaria e da limpeza dos espaços e, se for preciso, dou apoio às colegas nos serviços de atendimento domiciliário. Estou sempre disponível para ajudar e fazer o que tem de ser feito, naquilo que me é pedido”, sublinha.

Relativamente à sua integração na equipa de trabalho de que faz parte, a Luísa assegura que se sente perfeitamente ajustada às tarefas que lhe são colocadas, e a avaliação que faz tanto do ambiente de trabalho como das chefias é francamente positiva. “Integrei-me muito bem com as minhas colegas. Apesar de já ter trabalhado num lar antes, quando chegamos a um novo sítio temos de nos acostumar a novas formas de fazer as coisas, e aos feitios e formas de ser das pessoas com quem trabalhamos. Quando vim para cá, já conhecia algumas colegas, outras não, mas foi com o tempo que me habituei a elas, e elas a mim. Até agora, nunca me neguei a ajudá-las nas tarefas em que elas necessitem da minha ajuda, e acho que as coisas correram sempre muito bem no trabalho que faço. E tenho que dizer que as chefias sempre foram impecáveis comigo, e ajudaram-me em tudo o que precisei”.

Na descrição que faz do seu trabalho, a Luísa menciona que a Fundação Luís Vicente não é o primeiro Lar de idosos em que trabalhou, e o facto de já vir acostumada às tarefas que agora executa ajudaram à rapidez da sua adaptação às exigências de trabalho que lhe são colocadas. “Quando entrei no Lar pela primeira vez, através da A2000, não tive grandes problemas em habituar-me às tarefas que me foram pedidas, até porque já tinha trabalhado num Lar antes. Apesar de cada Lar ter a sua própria maneira de trabalhar com os idosos, quem já teve experiência a fazer este serviço, tem uma prática que o ajuda a fazer melhor o seu trabalho. Apesar da minha experiência, aprendi algumas coisas na formação, mas, na minha opinião, é na prática, no contacto com os idosos, que nós aprendemos mesmo a saber cuidar deles, e a lidar com eles todos os dias”, reitera, além de destacar a importância que a A2000 teve para que esta oportunidade de integração se tornasse possível, e de agradecer a proximidade que a Associação mantém, no sentido de se inteirar de como está a correr a experiência profissional. “Gostei do trabalho que a A2000 fez comigo, porque me ajudou a ter esta oportunidade. Quando vamos para a formação, temos sempre a esperança de ficarmos integrados. No entanto, quando temos a oportunidade de irmos trabalhar para algum sítio, temos de perceber que é para trabalhar, e mostrar aos chefes que sabemos fazer bem o que nos pedem. E ao longo de todos estes anos, a A2000 sempre me ajudou e acompanhou, e nunca deixou de tentar saber se estava tudo a correr bem no meu trabalho”.

Quem também faz um balanço extremamente satisfatório da integração profissional da Luísa é a diretora de serviços da Fundação Luís Vicente, Ana Maria Borges, que destacou, nas suas palavras, a apreciação bastante positiva do trabalho da colaboradora. “Eu já conhecia a Luísa de vista, até porque ela tinha cá um familiar, isto antes das integrações. Quando a Luísa veio para cá pela primeira vez fiz, conforme habitualmente faço a qualquer estagiária, com que ela fosse acompanhada por uma funcionária da casa, numa fase em que a pessoa necessitasse de conhecer os cantos à casa, e tivesse de se inteirar do trabalho que aqui é feito. E a Luísa integrou-se tão bem, que nos levou a procurar sistematicamente vários projetos em que a pudéssemos inserir. E a verdade é que as informações que temos sobre a Luísa são, de forma geral, bastante boas”.

Criada em 1960 com a missão de acolher pessoas idosas desinseridas do meio familiar e/ou social, e não autónomas na satisfação das suas necessidades básicas, e com serviços de apoio domiciliário, centro de dia e lar, que requerem competências bastante próprias na correta execução das tarefas requeridas, a Fundação Luís Vicente contempla exigências características do trabalho com idosos que, no entendimento da sua diretora de serviços, a Luísa manifesta de forma muito competente, tendo para isso contribuído a experiência profissional prévia neste tipo de trabalho. “O facto de a Luísa ter experiência prévia facilitou imenso a adaptação, e constatámos rapidamente isso. O que pode acontecer é que cada instituição tenha uma forma específica de proceder às prestações de cuidados às pessoas, mas esse é um aspeto que demora poucos dias a assimilar, particularmente quando já existe experiência prática. Tanto assim é que, no caso da Luísa, passado pouco tempo ela já fazia tudo sozinha”, realçou, além de ter enaltecido a educação, o cumprimento rigoroso de horários ou a disponibilidade permanente para trabalhar no que for necessário como algumas das grandes qualidades desta trabalhadora, numa conversa em que Ana Maria Borges sublinhou a importância de conferir oportunidades de realização profissional a pessoas que, como a Luísa, possam necessitar de algum apoio na procura de um espaço onde possam mostrar o seu valor.

Entidade: Fundação Luís Vicente

Atividade: IPSS – Apoio Social a Idosos

Concelho: Santa Marta de Penaguião

Gonçalo Novais, Técnico da A2000

Ana Augusto,Técnica de Acompanhamento e Inserção

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content