Integração profissional – Câmara Municipal de Vila Real

Domitila Patrício e Emídio Nogueira

Colaboradores na Câmara Municipal de Vila Real, Domitila Patrício e Emídio Nogueira estão nesta altura integrados profissionalmente, através da medida Contrato de Emprego Apoiado em Mercado Aberto (CEAMA), uma das mais estruturais medidas de apoio à empregabilidade do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) dirigidas a pessoas com deficiência e incapacidade.

A Domitila foi acompanhada pelos serviços de Apoio à Colocação da A2000 até ter a oportunidade de realizar um Contrato de Emprego-Inserção+ (CEI+) com o Município de Vila Real, antes do contrato de trabalho agora celebrado. Responsável pela higienização e conservação dos livros da Biblioteca Municipal, diz gostar muito do seu trabalho e agradece o empenho da Associação pelos novos horizontes de vida que lhe abriu. “Sinceramente, por causa dos meus problemas de saúde, nunca acreditei que viria um dia a poder trabalhar, mas a verdade é que a A2000 me abriu portas quando pensei que tal não seria possível, e trouxe uma esperança renovada na minha vida. A A2000 foi impecável para mim. Sempre fez o acompanhamento da minha situação de uma forma excelente, e recomendo a quem esteja em situações como aquela em que estive que fale com a A2000 no sentido de tentar melhorar a sua vida”, sublinhou.

Dotado de um enorme zelo no cumprimento das suas tarefas laborais, Emídio Nogueira é um caso de integração que demonstra ser uma enorme mais-valia no Museu de Vila Real. Com um conhecimento muito aprofundado da história da cidade e de tudo o que rodeia o seu trabalho, já para não falar da grande motivação subjacente a tudo o que faz. “As minhas funções são as de rececionista do Museu, e faço visitas guiadas a este espaço como também ao centro histórico da cidade. É um trabalho que adoro fazer, desde logo porque, por um lado, já estou habituado ao contacto com o público e, por outro, porque me fascina este contacto com a vertente histórica, que me obriga a estar atualizado e em pesquisa constante relativamente a todas as informações que possa recolher, que depois possa apresentar aos visitantes. Compilei, aliás, todas essas informações detalhadas e organizadas num roteiro pessoal que desenvolvi, que me ajuda imenso no contacto que tenho com as pessoas que cá vêm”, começou por dizer, antes de agradecer à A2000 pela oportunidade de realização profissional que tem hoje. “A A2000 foi muito importante no meu percurso de integração. Acompanhou-me de forma permanente, sempre me ajudou quando precisei, e até na sensibilidade que mostrou relativamente à orientação para os meus interesses.Trabalhar neste local obriga-me a ser criativo e dinâmico, por um lado porque tenho que me ajustar a diferentes tipos de público e, por outro, porque necessito de estar familiarizado com as sucessivas exposições que aqui são colocadas. Tal como digo várias vezes, o importante é nunca estar parado nem deitar a toalha ao chão, mas se tivermos o apoio de uma instituição como a A2000, vemos os nossos objetivos chegarem a bom porto. E até o Museu acabou por sair beneficiado com este processo, porque tem em mim um elemento interessado por estes temas que aqui são expostos e abordados”, concluiu.

Por seu turno, a Câmara Municipal de Vila Real é também uma autarquia-exemplo neste trabalho de inclusão profissional. Eugénia Almeida (Vice-presidente) e Mafalda Carvalho (Vereadora), assumiram que uma das principais estratégias da sua política de gestão de recursos humanos passa por criar condições mais estáveis de vínculo profissional com colaboradores com deficiência e incapacidade e agradecem à A2000 a cooperação para a materialização deste tipo de contratos. “Um dos aspetos mais importantes desta cooperação com a A2000 foi o facto de nos terem alertado para certas medidas de emprego dirigidas a pessoas com deficiência e incapacidade que poderiam levar, tanto para a entidade como para a pessoa, a relações laborais mais consistentes e duradouras. A nossa intenção com o recurso a medidas estruturais como o Contrato de Emprego Apoiado em Mercado Aberto [CEAMA] era arranjar soluções de longo prazo para a integração de trabalhadores que já tínhamos connosco e encontrar uma forma de os integrar mais estruturada, sem recorrer a ‘remendos’ ou a situações de instabilidade laboral permanentes”.

Assumem o orgulho pelo trabalho feito e pelas soluções encontradas, e esperam que o Município de Vila Real seja um exemplo a seguir por outras entidades e instituições, em prol da integração cada vez mais plena de pessoas com deficiência e incapacidade no mundo do trabalho. “Sentimos orgulho de estar na linha da frente ao nível da adoção de medidas estruturais e permanentes de integração socioprofissional de pessoas com deficiência e incapacidade. Existe da nossa parte uma enorme satisfação de podermos ter dado o «pontapé de saída» na adoção deste tipo de medidas, e queremos acreditar que as mesmas inspirem outras entidades a fazer o mesmo e a criar um contexto mais inclusivo que assegure a realização profissional de muitos destes cidadãos”.

Importa ainda salientar que, além destas duas pessoas apoiadas, o Município de Vila Real realizou mais três contratos neste âmbito para apoiar outro serviços, nomeadamente o Grémio Literário, Arquivo Municipal e Pavilhão Municipal de Desportos.

Ana Augusto e Gonçalo Novais, Técnicos da A2000

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content