Marcos de Desenvolvimento da Fala e Linguagem- PARTE 1

Bebé a brincar

Como Técnico de Intervenção Precoce com formação na área da Terapia da Fala, sou frequentemente questionado pelos familiares e amigos das crianças acompanhadas, bem como por colegas das diferentes áreas, acerca do que é esperado nas diferentes etapas do desenvolvimento de fala e linguagem das crianças. Por esta razão, considerei particularmente útil utilizar o espaço da revista previsto para os leitores interessados na Intervenção Precoce na Infância (IPI), para fornecer uma espécie de guia que permita monitorizar o desenvolvimento da fala e linguagem, bem como responder às questões mais frequentes. Importa sublinhar que estes marcos e respetivas idades não devem ser tidos como completamente estanques, o que significa que determinada competência deve surgir com o aproximar de determinada idade, derivando do amadurecimento neuromuscular. Este amadurecimento é dependente das diferentes características pessoais de cada criança, contextos que esta frequenta e experiências vivenciadas. Assim sendo, existem idiossincrasias da idade que devem ser tidas em conta. Caso ultrapasse significativamente as idades abaixo descritas ou lhe surjam dúvidas, não hesite em procurar a opinião e/ou avaliação de um Terapeuta da Fala.

Importa esclarecer que a notícia se encontrará divida em quatro partes. Numa primeira parte serão abordadas as competências pré-linguísticas, adquiridas ao longo do 1º ano de vida (12 meses de idade). Posteriormente, poderá atentar às competências linguísticas e de fala compreendidas entre o 1º e o 2º ano de vida (entre os 12 e os 24 meses). No seguimento da notícia encontrará os marcos esperados entre o 2º e o 4º ano de vida e, na última notícia, encontrará entre o 4º e o 6º ano de vida.

Pedro Barros,
Terapeuta da Fala da A2000

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content