Mês de outubro – O que é para ti a família?

Clientes da A2000 fazem ações de sensibilização na comunidade

Foi desta forma que iniciámos o mês de outubro. Começámos por entender a família como um grupo de pessoas unidas pelo afeto, que podem viver na mesma casa ou não, e que podem ou não ter laços de sangue. Amor, União, Educação, Sinceridade, Confiança, Felicidade, Proteção – eis alguns adjetivos que encontramos para definir a família e o seu papel na vida de cada um de nós.

Segundo a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com deficiência: “Os Estados Partes tomam todas as medidas apropriadas e efetivas para eliminar a discriminação contra pessoas com deficiência em todas as questões relacionadas com o casamento, família, paternidade e relações pessoais, em condições de igualdade com as demais, de modo a assegurar o reconhecimento do direito de todas as pessoas com deficiência, que estão em idade núbil, em contraírem matrimónio e a constituírem família com base no livre e total consentimento dos futuros cônjuges”. Foi com este mote que executámos o cartaz deste mês.

Associado a este direito, abordámos a deficiência motora. Ficámos a saber que existem diversos tipos de deficiência motora, com nomes muito complicados:

Monoplegia – paralisia num membro do corpo; Hemiplegia – paralisia na metade do corpo; Paraplegia – paralisia da cintura para baixo; Tetraplegia – paralisia do pescoço para baixo; Amputação – falta de um membro do corpo.

Optámos por evidenciar a ausência de membro superior (braço), e preparámos o desafio para levar à comunidade. Começámos por fazer uma simulação em sala, em que tentámos, apenas com uma mão, abrir um papel previamente fechado. Demorámos bastante tempo, mas conseguimos abrir e percebemos que as nossas tarefas tornam-se bastante mais demoradas e difíceis de concretizar.

Por conseguinte, resolvemos desafiar os minimercados e os cabeleireiros a executarem as suas tarefas diárias apenas com um braço, e fizemos questões como “E se a sua família o impedisse de namorar ou casar, como se sentiria?”, ou “E se não pudesse sair com os seus amigos?” – perguntas difíceis para quem nunca se viu nessa situação… Ficou a semente da dúvida, que esperamos que germine e torne as pessoas mais conscientes da discriminação, muitas vezes executada em nome da proteção. Porque superproteger não é proteger, é tirar direitos! (o direito à informação, à escolha, à capacitação, à autodeterminação…).

De uma forma geral, as entidades que interpelámos argumentaram terem grande dificuldade em desempenhar bem a sua atividade profissional, em especial os cabeleireiros, que necessitam de usar as duas mãos constantemente.

Em Tabuaço, o nosso grupo foi convidado pela Câmara Municipal a participar na Semana Municipal para a Igualdade. Desta forma, de 24 a 28 de outubro, tivemos oportunidade de expor os trabalhos do nosso projeto “Se tu fosses eu?” na Loja Interativa de Turismo, e desafiarmos os alunos do Agrupamento de Escolas de Tabuaço a colocarem-se no lugar das várias deficiências que temos vindo a abordar. No final, deixaram-nos mensagens de incentivo e solidariedade, manifestando a importância de divulgarmos o nosso projeto junto da comunidade.

Recordamos que o projeto “Se tu fosses eu?” é cofinanciado pelo Programa Nacional de Financiamento do INR, I.P. e tem a finalidade de despertar a comunidade para outras realidades: a realidade dos Direitos (ou a falta deles) da pessoa com deficiência (visual, auditiva, motora, intelectual).

Agradecemos a colaboração de:

  • Armamar: Mercadinho Douro; Cabeleireiro São; Loja dos Congelados; Cabeleireiro NVP
  • Murça: Salão Navarro; Mercado da Vila
  • Tabuaço: Loja do Eduardo; Cabeleireira Margarida Cruz, Câmara Municipal de Tabuaço

Marina Teixeira,  Diretora Técnica

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content