O regresso à escola

Trabalho manual de boas-vindas aos alunos no regresso às aulas

Setembro é o mês do regresso à rotina. Os pais voltam aos seus trabalhos e as crianças regressam à escola. Acabaram-se as férias e agora é tempo de recomeçar.

Tal como acontece com os adultos, também as crianças lidam com este regresso de forma diferente. Uns ficam muito contentes porque vão voltar a estar com os amigos, outros ficam mais tristes porque os dias passados com os pais, sem horários a cumprir, vão acabar. É importante que nós, pais, saibamos que ambas as reações são normais e, como tal, se a criança fica a chorar nos primeiros dias ou diz que não quer ir para a escola, é algo normal. 

É também normal que os próprios pais fiquem tristes e ansiosos, e até chorem, por verem os filhos tristes, e porque também eles estão a lidar com essa mudança. De qualquer forma, neste caso, é importante que os pais guardem essas lágrimas e essa ansiedade para si, para que a criança não se aperceba e fique ainda mais ansiosa. Assim, é fundamental que não se prolongue o momento da despedida. Depois do beijinho e do abraço, o melhor é retirar-se do espaço, calmamente. Lembrem-se que, na maioria das vezes, depois dos pais saírem, as crianças param de chorar. Trata-se apenas daquele pequeno momento da separação. 

Felizmente, a maioria das crianças adapta-se muito rapidamente à sua nova rotina. E claro que os pais têm um papel fundamental neste processo, pois cabe-lhes a eles ajudarem os filhos a perceberem a importância da escola, incentivar a educação como algo positivo, conferindo-lhe uma responsabilidade acrescida “os pais vão para os seus trabalhos e a escola é o teu trabalho”. Um trabalho muito divertido, pois o jardim-de-infância é, acima de tudo, um local de convívio e diversão, onde se aprende enquanto se brinca. 

Importa realçar que os pais devem sempre participar na educação dos filhos, de forma a contribuir para o seu desenvolvimento cognitivo, social e emocional, pois quando a criança se sente protegida e apoiada, desenvolve mais e melhor a sua autoestima, tornando-se capaz de enfrentar os desafios do seu dia-a-dia, de forma mais adequada.

É essencial que os pais falem com os filhos, lhes façam perguntas sobre o dia passado na escola, mesmo com os mais pequenos, que ainda pouco falam. Façam perguntas e ouçam as respostas, mostrem-se realmente interessados e não os apressem a responder. “O que fizeste hoje? O que aprendeste? Com quem brincaste?” – São questões que se podem colocar às crianças depois do dia de escola. No entanto, alguns pais queixam-se que fazem perguntas, mas os filhos não respondem, por isso, cabe aos pais serem mais criativos. Por exemplo: “Aprendeste alguma canção nova? Ainda te lembras como é? A educadora leu alguma história? Queres contar-me? Hoje fizeste construções com legos? Brincaste na garagem?…” Dêem-lhes opções para que seja mais fácil eles recordarem as atividades realizadas ao longo do dia. 

E para terminarem o dia em grande, não se esqueçam de brincar com eles, de lhes darem atenção e carinho, pois esses momentos irão contribuir para a sua segurança e para a sua estabilidade emocional. E acima de tudo, sabe tão bem!

Joelma Sequeira Monteiro, Psicóloga

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content