Os talentos ao serviço dos outros e do equilíbrio das coisas…

António Ribeiro, presidente da A2000

Muitas vezes dou comigo a pensar em toda a gente, principalmente nas dezenas ou centenas de pessoas que me circundam, penso em tudo e em nada, mas acabo sempre numa reflexão desequilibrada sobre os equilíbrios da vida, dos ecossistemas, do mundo, do universo! Acabo sempre por refletir sobre os talentos de todos e de cada um de nós ao serviço desses equilíbrios, ao serviço dos outros.

Pode parecer que somos apenas um ser insignificante no meio dos bilhões de pessoas que povoam o planeta, mas tenho cada vez mais a certeza que cada um de nós contribui para impactar o equilíbrio das coisas e dos sítios onde vivemos e interagimos. “A minha vida pode ser uma gota de água no Oceano. Mas sem essa gota, o Oceano fica incompleto”- Madre Teresa de Calcutá. Se cada um de nós colaborar nas pequenas ações que compõem cada dia, cada objetivo e cada missão, então estaremos a construir equilíbrios e a colocar os nossos talentos ao serviço dos outros.

Não temos que ser suprassumos em nada, nem de nada. Basta mesmo que coloquemos tudo quanto somos em tudo o que fazemos, com a mesma simplicidade até nas ações mais simples. Basta que cada um trabalhe e faça render os seus talentos em prole da comunidade e do equilíbrio das coisas. Um agricultor não semeou o milho nem o centeio no seu campo e guardou a semente numa arca! Que diríamos? Que o agricultor não trabalhou, nem fez render os seus talentos em prole de si próprio, nem da comunidade.

O mês de outubro integra o último trimestre do ano, aquele em que normalmente somos impelidos a um “sprint” final para fazer render os nossos talentos individuais e de equipa. Este ano estamos em sobre esforço por causa da pandemia da covid-19, que em muito tem descaraterizado a normalidade a que estávamos habituados, e mergulhamos em preocupações por nós, pela nossa família e pelos outros. De repente a saúde e a vida assumiram muito mais valor! Assistimos diariamente impotentes ao aumento de infetados, de hospitalizados e de mortos, temendo-se mesmo pelo desequilíbrio grave da economia e dos registos a que estamos habituados.

Se calhar, nunca como hoje, fez tanto sentido colocarmos os nossos talentos ao serviço dos outros e do equilíbrio das coisas…

António Ribeiro, Presidente da Direção

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content