“PORTUGAL AINDA É DOS MELHORES PAÍSES PARA SE GOVERNAR VIDA…”

António Ribeiro, presidente da A2000

Portugal acaba de mergulhar também numa crise política que a maior parte de nós considerava escusada, tendo em conta as crises pandémica, social e económica que ainda subsistem. A maior parte das vezes, desdenhamos dos políticos portugueses por causa de tudo o que nos acontece no dia a dia, imputando-lhes todas as culpas pela nossa má sorte…

Estamos habituados a ouvir diariamente pessoas a queixarem-se de tudo e de todos: queixam-se dos patrões, queixam-se dos governantes e dos políticos sem exceção, queixam-se dos vizinhos e dos amigos, etc. A maior parte destes queixosos nunca se queixam deles próprios, da inércia e do marasmo em que vivem, sendo que, na maior parte das vezes, podemos imputar uma boa parte dos pecados aos próprios. São também estes que alegam que é sempre melhor viver e trabalhar noutros países em detrimento deste Portugal e é deveras incrível a forma como se compara o que não é comparável. Sim, por cá ganhamos menos, mas temos uma vida mais saudável; por cá temos menos poder de compra, mas temos mais segurança; por cá até o tempo é melhor….

Uma coisa é certa, estamos a viver um período irregular e até imprevisível. Estamos a assistir ao aumento brutal do preço da maior parte dos bens e serviços, mesmo que essenciais à vida das pessoas, de que são exemplo os produtos alimentares, a eletricidade, os combustíveis, as matérias primas, os produtos eletrónicos e até os automóveis, etc. Na maior parte dos casos deve-se às paragens forçadas na produção, devido aos confinamentos provocados pela pandemia da Covid-19, mas noutros deve-se também à falta de mão de obra, à falta de pessoas que queiram trabalhar em determinadas tarefas/áreas: Há falta de trabalhadores na agricultura, na hotelaria e restauração, na construção civil e obras públicas, nos lares de idosos e de pessoas com deficiência, e até nalgumas indústrias.

Outra coisa também certa é o facto de eu considerar que as pessoas com deficiência ou incapacidade têm claramente um papel decisivo e, para isso, temos todos de promover a sua inclusão socioprofissional, utilizando todos os instrumentos e políticas à nossa disposição.

“É durante as fases de maior adversidade que surgem as grandes oportunidades de se fazer o bem a si mesmo e aos outros” (Dalai Lama)

E é aqui que eu digo que por cá se pode conseguir melhorar bastante o nível de rendimentos, se também melhorarmos a tecnologia, a organização, a governança, a formação, numa palavra a produtividade. Por cá, para as pessoas que trabalham, “Portugal ainda é dos melhores países para se governar vida…”

O Presidente da Direção, António Ribeiro

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content