Princípios e Valores Éticos: qual o mais difícil de respeitar?

Gráfico ilustrativo das respostas ao questionário, com o princípio da Solidariedade a ter 70% das respostas e o da Dignidade 30%

Na sequência dos resultados obtidos com o inquérito apresentado aos parceiros para saber se estes identificavam os valores da A2000, decidiu-se divulgar os Princípios e Valores éticos da A2000, através de um folheto informativo, junto das entidades parceiras dos vários concelhos onde a A2000 intervém.

Nas primeiras 39 entidades, a quem se entregou o folheto de divulgação dos Princípios e Valores éticos, apresentou-se um questionário com os Princípios e Valores da A2000 com a seguinte questão:

“No exercício da atividade da vossa entidade/empresa qual o Princípio e/ou Valor que considera ser mais difícil respeitar?”.

Relembramos que os Princípios da A2000 são a Solidariedade e o Respeito pela Dignidade e os Valores são Compromisso, Competência, Respeito e Inclusão.

Os resultados do questionário revelaram que, no que concerne aos Princípios, as entidades/empresas consideraram ser o Princípio da Solidariedade o mais difícil de respeitar (ver gráfico 1).

Segundo as entidades parceiras, os seus propósitos económicos nem sempre se coadunam com ações de cooperação que envolvam despesa ou perda de rendimento e, por isso nem sempre conseguem ir de encontro à promoção dos direitos das pessoas, especialmente das mais vulneráveis.

Relativamente aos Valores, as entidades/empresas não foram tão unânimes na sua resposta. O valor da Inclusão foi o mais indicado como sendo aquele mais difícil de implementar. Contudo, os valores Respeito e Compromisso também foram significativamente assinalados (ver gráfico 2 na página seguinte).

Quando se fala em Inclusão, as entidades/empresas pensam, primeiro em inclusão profissional, e essa elas têm a experiência de que é possível, mas a real inclusão ocorre quando todos, sem exceção, se sentem verdadeiramente aceites e iguais e, num local onde trabalha muita gente, isso nem sempre é fácil. Aqui já se está a entrar no território do Respeito – respeitar as diferenças, tolerar e compreender outras formas de estar/fazer/ser.

O valor Respeito foi indicado por 26% das entidades como sendo o mais difícil de implementar, e com igual percentagem surge também o valor Compromisso.

O dia-a-dia profissional dos parceiros exige a tomada de decisões, onde é necessário defender os interesses patronais/produtivos/económicos, mas também atender aos interesses dos colaboradores e da sociedade em geral – esta conciliação de interesses exige Respeito, no sentido de, ao priorizar os seus interesses não lesar os dos outros, o que nem sempre é fácil num mundo competitivo.

Talvez por isso surja, em ex aequo, o valor Compromisso, pois o agir em diversos planos (pessoal, profissional, económico, social…) – onde há múltiplos objetivos, múltiplos intervenientes – exige firmeza por forma a que os diferentes compromissos que se estabelecem possam coexistir, sejam coerentes e expressem o respeito por todos.

Por último,, surge o valor Competência que alguns parceiros (18%) indicaram como sendo difícil de implementar, pois competência não envolve apenas conhecimento técnico, envolve também empenhamento pessoal no desempenho profissional e, é esta conjugação de variáveis que torna difícil implementar este valor.

Este trabalho de campo foi um exercício de reflexão para cada um dos parceiros que lhes permitiu perceber que um comportamento ético exige muito de todos. Com esta reflexão também se alertou as entidades/empresas para o papel ético desempenhado na parceria com a A2000 e na prossecução da missão desta.

Concluiu-se com este trabalho que os parceiros vêm as dificuldades de implementação de alguns valores éticos na vida profissional. Mas, ao estabelecerem a parceria, a A2000 proporciona-lhes a possibilidade de colocarem em prática os seus princípios e valores, graças à nova experiência social que a relação com os jovens clientes da A2000, lhes proporciona.

Em suma, como resultado deste pequeno estudo, a A2000 sentiu que pode ser uma mais-valia para os seus parceiros, na medida em que lhes proporciona a oportunidade de desenvolverem novas atitudes e colocarem em prática os princípios e valores éticos que, numa primeira abordagem, lhes pareceram tão difíceis. Assim, a A2000 pode envolver e inspirar os seus parceiros num processo de melhoria das suas práticas éticas, criando serviços dinâmicos comprometidos com o respeito pelos direitos dos mais vulneráveis, solidários, inclusivos e dignificantes para todos.

Aurora Gouveia, Técnica de Apoio A2000

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content