Programa de Ação e Orçamento para 2023 aprovado por unanimidade

Os sócios da A2000 reunidos em assembleia-geral ordinária, realizada em dois formatos simultâneos (presencial e digital) no dia 15 de novembro, aprovaram por unanimidade: a revisão do orçamento para o ano de 2022; e o programa de ação e orçamento para o ano de 2023.

Na sessão, coube à Diretora-Técnica da A2000, Marina Teixeira, fazer uma retrospetiva das atividades e projetos desenvolvidos em 2022, bem como o lançamento das atividades para o próximo ano em que, para lá da expectativa de ver aprovados novos projetos em fase de aprovação de candidaturas já submetidas, existe a possibilidade de expansão dos serviços de formação profissional e do Centro de Recursos para a Inclusão Profissional (CRIP) para o concelho de Carrazeda de Ansiães. 

No entanto, o maior desafio dos próximos anos será o da requalificação do edifício da sede da A2000, ao abrigo da instalação das futuras respostas sociais da Associação, conforme António Ribeiro, presidente da Direção, explicou aos sócios presentes. “A aprovação da candidatura da A2000 ao programa PARES 3.0 está desde já a levar a uma enorme «revolução» nas nossas instalações, com obras já a decorrer no edifício da antiga residência dos salesianos, que prepararão a instalação de todos os serviços da A2000 naquele espaço, a título definitivo, excetuando os serviços administrativos, os únicos que regressarão ao edifício principal da nossa sede, quando as obras estiverem concluídas. Estes trabalhos são totalmente suportados pela A2000 no plano financeiro, e o montante envolvido, inflacionado pela conjuntura que vivemos, coloca a Associação numa situação mais frágil no plano financeiro”.

Contudo, o aspeto que merece mais preocupação do responsável máximo da A2000 prende-se com o facto de que os valores estimados em sede de candidatura ao programa PARES foram completamente ultrapassados no que concerne às obras de adaptação do edifício, como o próprio explica. “Em sede de aviso de candidatura, os encargos entre a Segurança Social e a A2000 eram de 80% e 20%, respetivamente, valores sem IVA e considerando que o valor a cargo da A2000 não inclui a metade do IVA a suportar. Para se ter uma ideia concreta, o valor estimado do investimento a cargo da A2000 em sede de candidatura cifrava-se em 723.032,10, incluindo a metade do IVA que é suportada pela A2000 (a outra metade do IVA é reembolsável). O valor base destes trabalhos de requalificação foi entretanto revisto, em outubro passado, em sede de caderno de encargos, com fundamento em critérios objetivos, designadamente através de parecer de peritos especialistas da equipa técnica responsável pelo projeto de execução, e cifra-se agora em 2.710.000, acrescido de IVA à taxa legal em vigor, o que significará um investimento a cargo da A2000 no valor de 1.806.290,75, incluindo a metade do IVA que é suportada pela Associação, o que se traduzirá, no nosso caso, em 47% de investimento assumido pela Segurança Social e 53% para a A2000. Em face do apresentado, resta decidir se avançamos ou não para a execução do projeto PARES 3.0, sendo que qualquer uma das alternativas terá impactos muito negativos na organização e, principalmente, nas pessoas que já atende e outras que pretende atender”, explicou António Ribeiro.

Apesar da enorme exigência que vai pesar  sobre a estrutura nos próximos anos, o presidente da A2000 revelou que a instituição está determinada a superar mais este grande desafio, e há um plano para dar a volta à situação. “Esta Direção está fortemente empenhada em levar a bom porto a execução do projeto PARES 3.0, uma vez que significará, para além do maior projeto da A2000, a consolidação da organização como uma instituição relevante do setor social pelo número de pessoas com deficiência ou incapacidade abrangidas e a abranger, bem como pelo importante contributo socioeconómico, com a criação de 55 novos postos de trabalho e a utilização e rentabilização integral das atuais instalações da sede. Esta Direção está completamente consciente das dificuldades e dos elevados riscos deste que é o maior desafio das nossas vidas, mas estamos preparados para mobilizar colaboradores, associados e parceiros estratégicos e funcionais para conseguirmos, juntos, fazer da A2000 uma entidade ainda maior no final deste período. E vamos conseguir!”, afiançou.

Na Assembleia-Geral Extraordinária realizada de seguida, também no mesmo dia, os sócios aprovaram a alteração do valor das quotas anuais da A2000 para o ano de 2023. 

Considerando que o valor da quota anual nunca foi alterado desde 2002, e tendo em atenção o contexto económico-financeiro atual, a Direção viu ser aprovada a sua proposta de alteração da quota mínima anual de sócio de 25€/ano para 35€/ano, com efeitos ao ano de 2023, sendo que os sócios que optarem pelo débito direto SEPA terão um desconto de cobrança de 5,00€/ano (pagarão apenas 30€/ano). Os sócios presentes ratificaram ainda a aquisição do prédio rústico contíguo ao Pavilhão Gimnodesportivo da A2000, para posterior construção de entrada autónoma nas instalações e um parque de estacionamento.

A revisão do orçamento para 2022 e o programa de ação e orçamento para 2023 estão disponíveis para consulta na sede da A2000 ou no site www.a2000.pt.

Gonçalo Novais, Técnico da A2000

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content