Projeto «Viver Sem Idade» trouxe «revolução tecnológica» aos idosos da A2000

atividades de Viver sem idade

Projeto financiado ao abrigo da 8ª edição dos Prémios BPI Fundação “la Caixa” Seniores

“Um balanço muito positivo” e “uma experiência que nos fez conhecer pessoas maravilhosas” – eis o rescaldo do projeto «Viver Sem Idade» que, durante o ano transato, permitiu à A2000 trazer uma verdadeira «revolução tecnológica» no trabalho realizado com pessoas idosas autónomas.

Para as técnicas da A2000 afetas ao projeto, Joana Alves e Paula Conceição, o desenvolvimento de competências nos clientes foi facilitado por algum contacto prévio dos mesmos em atividades já realizadas pontualmente nos Espaços de Convívio. “Introduzir as pessoas no domínio das ferramentas tecnológicas mais sofisticadas de que dispusemos foi sempre um desafio, mas a verdade é que, nos Espaços de Convívio, já era hábito os clientes realizarem atividades nos computadores e o feedback era bastante positivo. Além disso, a maior parte deles sabe ler e escrever, o que facilitou bastante o nosso trabalho, pois ao nível de escrita no Word são bastante bons e na utilização do tablet também”, explicaram, além de revelarem que escrever textos no Word e a realização de jogos de estimulação cognitiva nos tablets eram justamente as atividades preferidas.

Contudo, o domínio de certos equipamentos e a habituação aos mesmos exigiu a técnicas e clientes algumas adaptações, para que as atividades corressem pelo melhor. “Graças ao apoio do BPI a este projeto, tivemos a oportunidade de contactar com equipamentos que até para nós eram uma novidade, como a Nintendo Switch ou óculos de realidade virtual. A preparação para a sua utilização passou muito pela pesquisa, tirar dúvidas com o colega Luís [Luís Marinheira, técnico de informática da A2000] e ir tentando descobrir como funcionavam. Mesmo com os clientes, apesar do entusiasmo inicial, teve de se lidar com situações como a renitência de alguns em experimentar, por exemplo, os óculos de realidade virtual, ou as dificuldades de manuseamento, pois os ecrãs dos computadores são táteis e isso provocou alguns problemas durante as atividades. Com o tempo, porém, foram-se habituando”.

Esse hábito acabou por traduzir-se em melhorias notórias nas competências das pessoas abrangidas pelo projeto. “Ao nível da escrita no Word houve muitas melhorias, muitos dos clientes já conseguiram decorar as teclas do espaçamento, de apagar e mudar de linha e já há uma maior preocupação com os acentos e pontuação. Nos computadores, também trabalhámos no programa “paint”, este sim uma novidade para os nossos idosos, o que nos permitiu promover a criatividade de cada um e proporcionar verdadeiros momentos de descontração, através do desenho. Realizámos também muitas atividades de estimulação cognitiva para melhorar ou manter certas competências como a memória, atenção ou o raciocínio e, apesar do pouco tempo de contacto semanal, acreditamos que estamos a fazer a diferença na vida destas pessoas. Neste âmbito, também foram importantes as atividades de estimulação cognitiva ao domicílio, que levou este projeto a casa de 29 idosos mais dependentes. É visível no olhar dos clientes o sentimento de realização, satisfação e de bem-estar por ainda conseguirem aprender coisas novas, e gratificante para nós sentir que fazemos parte desse trabalho”, concluíram as técnicas da A2000.

O projeto «Viver Sem Idade» foi resultado de uma candidatura da A2000 premiada na 8ª edição dos Prémios BPI “la Caixa” Seniores e teve como objetivo aumentar a qualidade de vida de 100 pessoas idosas, através da utilização de novas ferramentas tecnológicas, que permitissem estimulação (sensorial, cognitiva, emocional, motora e social), prevenindo a deterioração cognitiva, o isolamento e institucionalização.

O projeto “Viver sem idade” teve igualmente como parceiros, quer na parte financeira, quer na parte logística, no Concelho de Peso da Régua: a União de Freguesias de Galafura e Covelinhas e a Associação Cultural, Social, Desportiva e Recreativa de Galafura; no Concelho de Santa Marta de Penaguião contou como parceiros / financiadores: o Município de Santa Marta de Penaguião; União de Freguesias de Lobrigos (S. Miguel e S. João Batista) e Sanhoane; União de Freguesias de Louredo e Fornelos; e as Juntas de Freguesia de Sever, de Alvações do Corgo e de Fontes. Outras parcerias: União de Freguesias de Poiares e Canelas.

Gonçalo Novais, Técnico

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content