PROJETOS FINANCIADOS PELO INR

Atividades lúdicas realizadas pelos clientes dos projetos da A2000 financiados pelo INR como trabalhos manuais, dança e idas à piscina

“A verdadeira felicidade é impossível sem a verdadeira Saúde…”

Mahatma Gandhi

No projeto “Estou Aqu!”, a decorrer nos concelhos de Armamar, Tabuaço e Murça, o mês de agosto foi dedicado ao tema “Costumes do passado e do presente”. Aproveitámos o facto deste mês ser comumente associado à reunião da família, por ser o mês preferido de férias dos portugueses, e dedicámo-nos a “investigar” as diferenças entre o modo de vida dos nossos antepassados e o nosso modo de vida. Verificámos a evolução que houve em tópicos como a Saúde, a Higiene, a Habitação, o Vestuário, a Gastronomia, a Educação e até o Namoro… mas, como gostamos de nos divertir, focámo-nos mais nos jogos e brincadeiras. Voltámos a ser crianças (e foi tão bom!) e recordámos jogos tradicionais, mas também não deixámos de parte os mais modernos (no tablet e computador). Podemos dizer que esta viagem foi mesmo uma aventura…que ficou registada em murais nas nossas salas.

Ao tema do mês associámos o Direito à Saúde e, como emoção, o “entusiasmo”.

No que à Saúde diz respeito, aferimos que o seu conceito transcende a ausência de doenças e afeções e, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é definida como “…um estado de completo bem-estar físico, mental e social”. Falámos nos direitos e deveres dos doentes e fizemos mascotes giríssimas – em Armamar a “Sra. Enfermeira Felismina” e em Tabuaço o consultório de um psicólogo.

O Entusiasmo foi, como habitualmente, trabalhado todos os dias e ficou perpetuado em fotografias numa máquina fotográfica em cartão (em Tabuaço), num rolo de filme em cartão (em Armamar) e num rolo de fotografias (em Murça) que, em casa, nos lembrarão como afinal é preciso tão pouco para termos verdadeira saúde!

Em Tabuaço aproveitámos para passar um dia na piscina e convivemos com o grupo de jovens Movimento da Mensagem De Fátima de Tabuaço. Em Armamar divertimo-nos com jovens do Agrupamento de Escuteiros de S. Martinho das Chãs.

Em Murça fizemos ainda uma visita à Biblioteca Municipal para uma pesquisa mais aprofundada de jogos e tradições de antigamente, dando especial destaque às superstições que, apesar de virem dos tempos antigos, chegam aos nossos dias e alteram a nossa rotina. Com essa pesquisa realizámos um vídeo onde descrevemos cada superstição. E muito foi o que nos divertimos! Mas este foi um tema que nos empolgou tanto que quisemos saber um pouco mais e, além de fazermos uma visita virtual ao Museu do Traje, recebemos ainda a visita do Prof. Ribeiro da Universidade Sénior, com quem falámos muito sobre as diferenças da vida em Murça desde antigamente até agora. Desde as profissões aos meios de transporte, passando pela saúde e pelas brincadeiras, muito foi o que se falou e muito temos a agradecer pela sua gentileza em nos fazer tão agradável visita.

Entretanto, e de acordo com a calendarização proposta, na nossa página de Facebook (com o mesmo nome do projeto) fomos partilhando o nosso dia-a-dia e com muitas visualizações.

De referir que este projeto é cofinanciado pelo Instituto Nacional para a Reabilitação (INR) e conta com a parceria dos Municípios de Armamar, Tabuaço e Murça, e tem como público-alvo pessoas com deficiência ou incapacidade residentes nestes concelhos.

O projeto Abrir Portas, quando foi proposto em candidatura ao INR, foi concebido para intervir em três frentes, por forma a concretizar a grande meta de facilitar a integração socioprofissional das pessoas com doenças do foro psicológico, a saber:

  • Promover as competências pessoais e de relação interpessoal;

-Desenvolver as competências na área das Tecnologias de Informação e Comunicação (Office na ótica do utilizador; Internet; Redes Sociais);

  • Desenvolver competências na área da empregabilidade (definição de interesses; desenho de percurso profissional/ocupacional; técnicas de procura de emprego; realização de currículo; comportamento em entrevista de emprego, etc.).

Quando começámos a interagir e a conhecer os participantes percebemos que o maior investimento deveria ser no desenvolvimento pessoal/autoconhecimento, pois se a pessoa não se sentir bem consigo mesma, como poderá interagir e superar os vários desafios que a vida coloca?

Portanto, neste mês de agosto trabalhámos várias temáticas que estão presentes e subjacentes à tomada de decisão:

· Valores

· Autoconceito

· Direitos

· Motivação

· 12 passos para definição de objetivos

· PATH – Construir caminho para futuros alternativos e com esperança

O problema das doenças do foro psicológico é que interferem com todos os aspetos da vida, como o pessoal, afetivo, relacional, familiar, profissional. Por isso, quando alguém vê a sua vida abalroada por um problema de saúde mental tem que, após estabilizar clinicamente a doença, recomeçar tudo, havendo aspetos que nunca serão iguais. Não é, portanto, um recomeço, mas sim o início de uma outra vida.

Contudo, será um começo com as experiências positivas e negativas da vida anterior, o que inevitavelmente traz a comparação com o que já se foi e o que já se teve, o que alimenta o sentimento de perda: “Perdi-me de mim!”.

Agosto foi um mês de reencontro, onde cada um olhou para si e se reencontrou com nesta nova etapa de vida e identificou os valores que quer manter como espinha dorsal das suas decisões e atitudes; definiu-se pelos aspetos positivos que quer manter e que nutrem a sua essência; reencontrou as suas motivações/necessidades; descreveu os seus sonhos; aprendeu a definir um objetivo específico e concretizável; e fez o seu PATH, ou seja, o caminho para construir um futuro alternativo concreto e carregado de esperanças.

Podemos dizer que o mês de agosto foi o início de uma nova etapa: “Todas as conquistas começam com a decisão de tentar”.

Marina Teixeira, Diretora Técnica da A2000

Notícias Relacionadas

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024

DOADOR DO MÊS DE JULHO

10 de Julho, 2024
Skip to content