Vamos brincar com os nossos filhos

Imagem em desenho animado de pais a brincar com filhos na praia num dia de sol

Chegada a esta altura do ano, vemos muitos pais preocupados com o facto de as férias serem muito grandes e não saberem como ocupar o tempo dos filhos, por isso, este mês, pretendemos ajudá-los nessa aventura que são as férias em família. 

O mais importante de tudo é que os vossos filhos façam aquilo que os deixa felizes. Quaisquer que sejam as atividades, devem fazê-las por gosto e não por se sentirem obrigados a tal. 

O bom tempo típico desta época convida a passeios, atividades e jogos ao ar livre, por isso, diminuam o tempo que passam em casa e saiam! Limitem o tempo que os vossos filhos passam em frente à televisão, ao telemóvel ou qualquer outro dispositivo eletrónico, e brinquem com eles, puxem pela vossa imaginação e criem jogos com o que tiverem à mão. Não são precisos grandes brinquedos, nem brinquedos de última geração para os vossos filhos se divertirem. Por exemplo, o jogo simbólico, mais comumente chamado de jogo do “faz de conta”, é dos mais importantes para o desenvolvimento da criança e não necessita de brinquedos específicos, pois fica à imaginação de cada criança. Este jogo não só exercita a sua capacidade de pensar (representar simbolicamente as suas ações), mas também as suas habilidades motoras, já que estas brincadeiras implicam, na maioria das vezes, saltar, correr ou manipular objetos. As brincadeiras de faz-de-conta exercitam a imaginação, a capacidade de planear e de fantasiar situações lúdicas. 

No entanto, é importante realçar que este tipo de brincadeiras só começam a surgir por volta dos 2 anos de idade. É a partir desta idade que passam a dar mais importância aos seus pares. Este tipo de brincadeira em grupo implica a negociação, ou seja, saber brincar com os outros, brincar sobre a mesma temática, acordar papéis e ações entre eles. E é aqui que surgem os pais (e outros membros da família), como pares de brincadeiras que vão direcionando a temática numa ou em outra direção. 

Durante esta atividade estão também a promover as competências linguísticas dos vossos filhos, algo de extrema importância. 

E conversem. Conversem muito. Façam-lhes perguntas, incutam-lhes a curiosidade e o interesse. Levem-nos a passear e a ver coisas novas. E não é preciso irem para longe. Às vezes basta só um pouco de vontade e de imaginação!

Leiam histórias e ajudem-nos a fazer a representação gráfica (desenho) dessas histórias. Criem-lhes memórias felizes. Com certeza também vocês, pais, têm boas memórias da infância.

Expressem as vossas ideias e sentimentos, e incentivem os vossos filhos a fazê-lo também. É uma boa forma de passar o tempo com eles. 

E há também uma série de livros e revistas com atividades lúdicas que trabalham, ao mesmo tempo, a atenção/concentração, o raciocínio, a memória, o cálculo mental e a destreza manual, para que, ao mesmo tempo que brincam, as crianças desenvolvam as competências cognitivas necessárias ao longo da sua vida. 

Se depois disto tudo ainda lhes sobrar tempo, joguem à bola, à apanhada, às escondidas, à macaca… vão à praia, à piscina ou ao rio… vão ao campo, à horta ou à vinha! Façam um piquenique! 

E não se esqueçam de sorrir. Os filhos são a nossa maior bênção e a nossa alegria. Por muito cansados que nós, pais, estejamos, não nos esqueçamos de sorrir para eles, para que cresçam felizes e saibam, sempre, que são as pessoas mais importantes para alguém!

Boas férias!

Joelma Sequeira, Psicóloga

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content