Vêm aí as férias…

Imagem em forma de desenho animado de menina a segurar uma placa a dizer «Férias»

Esta é a altura do ano mais esperada por pais e filhos, uma altura em que é permitido descansar e desfrutar da tão apreciada expressão “dolce far niente”. Depois de quase um ano de trabalho, preocupações, trabalhos de casa, horários rígidos para cumprir e rotinas, eis que chega uma altura em que tudo isso desaparece dando lugar à descontração, aos passeios, aos banhos na piscina, na praia ou no rio… ao sol e às esplanadas…  

O tempo das férias é fundamental para descansarmos física e psicologicamente e, no caso das crianças, é a altura de terminar um ciclo e descansar para, em setembro, retomar a rotina e iniciar uma nova etapa.

Hoje em dia, as crianças vêm a sua infância limitada pelos horários e constrangimentos da vida dos adultos, falta-lhes tempo para brincar… por isso, as férias são o momento ideal para isso!

Nesse sentido, esqueçam as atividades escolares normais, pratiquem-nas, apenas, se forem realizadas de forma lúdica, pois férias é sinónimo de brincadeira e não de estudo! Por exemplo, se estivermos a fazer um jogo onde temos que dizer nomes de animais, estamos a trabalhar vocabulário e memória, mas a criança não irá associar esse jogo à escola. Se fizermos um bolo e a criança ficar responsável pelas quantidades, já está a trabalhar a matemática, sem que se aperceba que o está a fazer.

No entanto, e apesar de as férias serem um momento para ser apreciado a fazer aquilo que mais queremos, é comum vermos os pais a organizarem atividades sem fim, para ocupar o tempo dos filhos, para que tenham umas férias preenchidas, com atividades diversificadas para que aproveitem bem o dia… e muitas vezes sem sequer saberem se é dessa forma que os seus filhos querem passar o seu tempo de férias!

Então, porque não colocarem essa organização um bocadinho de lado e deixarem os vossos filhos fazerem o que mais gostam?! Deixem-nos dormir até mais tarde, é a altura certa para isso… deixem-nos brincar com aquilo que mais gostam… aproveitem para se juntar a eles nessas brincadeiras e fazerem parte das férias, nos melhores momentos dos vossos filhos. Tenho a certeza, não só como psicóloga mas acima de tudo como filha, que o melhor tempo é aquele que passamos na companhia dos que mais amamos, e enquanto crianças, os nossos pais não têm concorrentes nesse campo. Até podemos estar em casa a fazer as brincadeiras habituais, a realizar atividades simples e comuns, mas se tivermos os nossos pais a brincar connosco, se os tivermos a 100%, sem preocupações, esse tempo será o mais bem passado de todos. E, se por acaso, durante todo o período de férias, os vossos filhos passarem por alguns momentos de menor agrado e que até sintam alguma frustração, não se culpem, pois lidar com a frustração proporciona um grande crescimento aos vossos filhos, na medida em que os ensina a lidar com aquilo que virá no futuro!

 Mas para que os vossos filhos façam aquilo que mais gostam nas férias deixo-vos uma dica muito simples e barata: “pais, conversem com os vossos filhos e perguntem-lhes o que eles gostariam de fazer”, caso contrário, é comum vermos as crianças envolvidas em atividades que agradam mais aos pais do que aos filhos. É claro que estamos a falar de crianças que já sabem expressar aquilo que gostam ou não de fazer, no caso dos mais pequeninos é só estarmos atentos, as suas preferências saltam-nos à vista!

Aproveitem para lhes contarem histórias, mostrarem fotografias dos vossos tempos de criança, contem-lhes como passavam as vossas férias, levem-nos visitar os sítios que frequentaram em criança, façam-nos sentir parte da vossa história!

Partilhem jogos e brincadeiras que tiveram na vossa infância, o jogo da macaca, do elástico… e tantos outros que fizeram nessa altura ,uma das mais felizes de sempre! Ensinem as vossas crianças que não é preciso gastar muito dinheiro em brinquedos para haver momentos de entretenimento e diversão.

E não se preocupem se nem sempre têm brincadeiras ou atividades definidas, pois isso vai estimular a criatividade do vosso filho, ajudá-lo a improvisar, a “fazer de conta”, o que é fundamental no desenvolvimento intelectual e cognitivo de qualquer criança.

Se pensarmos bem, existem tantas atividades simples e sem gastarmos muito dinheiro que podem ser partilhadas em família… por exemplo:

  • Ajudar a fazer um bolo ou bolachas, os tradicionais gelados de leite ou de fruta, ou qualquer outra receita simples;
  • Ajudar a regar o quintal ou a horta, aproveitando as atividades que envolvem água e ar livre para brincar livremente;
  • Ir à pesca;
  • Fazer um piquenique;
  • Jogar às cartas ou aos jogos de tabuleiro que faziam a delícia dos nossos tempos de infância;
  • Utilizar revistas velhas para recortar e colar, construir guarda-roupas de princesas e utensílios de batalhas;
  • Usar e abusar das tintas para estimular a criatividade e expressar as emoções tantas vezes reprimidas…

 Mas acima de tudo, o mais importante é saber que a criança está feliz e a aproveitar as suas férias da melhor maneira possível, junto daqueles que mais ama. Viver ao máximo cada momento que passam com os vossos filhos torna-os inesquecíveis, e eles recordar-se-ão deles para sempre.

Aproveitem bem esses dias, eu, como mãe, farei o mesmo!

Joelma Monteiro, Psicóloga

Notícias Relacionadas

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024

Doador do mês de maio

10 de Maio, 2024
Skip to content